Sobre nós

Origem Histórica: Os primeiros incentivadores da paróquia São Martinho de Lima, na Vila Camargo, foram os Padres Pio Dantas, pároco de São José, Vila Oficinas e Pe. Orides Giroldo, Reitor do Seminário Palotino e seminaristas Moacir e Luiz Antônio.


Missões Populares: A 03 de setembro de 1975, chegaram os missionários redentoristas: Padres Hilton e José, hospedando-se na casa de Romeu e Nelson, onde celebravam a missa e pregavam.

Paróquia da Vila Centenário: A 07 de outubro de 1975, era criada a paróquia de Nossa Senhora do Rosário de Belém, confiada aos Dominicanos Frei Rafael Cini, o pároco, fez uma reunião com os líderes, a 13 de junho de 1977, sendo proposto como padroeiro São Martinho de Lima, aceito por todos.

Diácono João Cubas: A 05 de julho de 1977, chegou de Apucarana o Diácono João Cubas, provisionado por Dom Pedro Fedalto e aceito pelo pároco.

Comprado Terreno: A 07 de dezembro de 1978, foi realizada a reunião para a compra de dois lotes. Dom Pedro Fedalto não aceitou fossem comprados dois lotes. Exigiu fossem quatro com a ajuda do Adveniat.


Construção da Igreja: A 17 de agosto de 1982, foi realizada a reunião para a construção da igreja, com Frei Constantino Mammo, O.P., novo pároco da Vila Centenário.

Pedra Fundamental: A 11 de março de 1984, Dom Pedro Fedalto benzeu a pedra fundamental da igreja, com muito entusiasmo do povo, erguendo a igreja com generosidade e sacrifício, construindo um apartamento para o pároco, na entrada, na parte superior.

Padre Lotário Welter: O Pe. Lotário Welter, da Diocese de Campo Mourão, pediu um ministério pastoral.


Criação da paróquia: criada no dia 02 de julho de 1993 e instalada aos 03 de julho de 1993 com a posse do 1º pároco Pe. Lotário Welter.

História do início da Paróquia São Martinho de Lima

Até 1975, não existia comunidade, apenas a divisão de setores de capelinhas, comandada pela coordenadora do movimento de capelinhas da Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Belém, que também ainda não tinha igreja, as missas eram celebradas em estrebarias pelos padres palotinos e depois pelos padres dominicanos, Frei Rafael e Frei Domingos.

Em 1975, vieram as missões, foram instaladas barracas de lona e luz elétrica em um grande terreno próximo onde hoje é a caneleta do expresso, neste local havia apenas uma casinha de madeira pertencente ao Sr. Nelson, que cedeu seu espaço para o evento missionário, no entanto, após o evento, os padres continuaram a celebrar missas naquele local.

Porém para que as missas acontecessem era necessário que o Sr. Nelson acendesse as luzes, certo dia, Sr. Nelson teve um compromisso e se atrasou para acender as luzes e frei Rafael incomodado com a situação, ali mesmo decidiu que a partir de então, as missas seriam realizadas no Jardim de Infância Mickey Mouse.

As missas passaram então a ser celebradas no Jardim de Infância e na sala da casa do Sr. Timóteo.

Um dia, na casa do Sr. Timóteo, frei Domingos celebrou a missa e pediu que ao final todos os participantes da missa se dirigissem até o Jardim de Infância Mickey Mouse para uma importante reunião, onde comunicou que queria criar uma diretoria para a criação da Comunidade da Vila Camargo que seria pertencente a Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Belém.

Foi necessário então formar uma diretoria e eleger um presidente, como não havia tempo de formar chapas para a eleição, o Frei sugeriu então que todos os presentes votassem em alguém que não fosse em si mesmo, mas que achassem que pudesse ser o presidente da comunidade.

O Frei Domingos fez a primeira votação, onde foi eleito o senhor Luiz Miguel, fez uma segunda e ele também foi eleito e ainda houve uma terceira que confirmou o resultado.

Conta o Sr. Luiz, que certo dia voltando de uma das missas celebradas no Jardim da Infância Mickey Mouse, comentou com sua esposa, que se um dia tivesse a responsabilidade da comunidade em suas mãos faria de tudo para que a igreja acontecesse, e no momento que foi eleito, teve a certeza de que Deus colocou a mão sobre sua cabeça quando fez tal comentário e colocara em suas mãos essa missão, pois não era muito conhecido e tinha pouco estudo e conhecimento para ter sido escolhido como presidente, ele então pediu aos que acreditaram nele, que o ajudassem, para que juntos pudessem comprar um terreno e construir a igreja da comunidade.

Por mais algum tempo, as missas continuaram a ser celebradas no Jardim de Infância e também eram realizadas festas para arrecadação de dinheiro para a compra do terreno. Era muito trabalho, pois as festas eram realizadas aos domingos e a noite era necessária que tudo estivesse limpo e arrumado para receber as crianças na segunda-feira pela manhã.

 

Em seguida, o Sr. Luiz estava fazendo a construção de um comércio na Rua Niterói e propôs à diretoria que fosse usado esse espaço para a celebração das missas e festas enquanto o mesmo não fosse utilizado e assim foi feito, nesta mesma época, começaram o loteamento do local onde hoje está localizada a Paróquia, decidiram então comprar dois lotes para a construção da igreja e foram até a Cúria falar com Dom Pedro Fedalto, mas ele não concordou com a compra de dois lotes e sim de quatro lotes para abrigar a então Comunidade da Vila Camargo, no entanto a comunidade não possuía condições de assumir a prestação de quatro lotes conforme a orientação de Dom Pedro, que então sugeriu que fossem comprados os quatro lotes, a Cúria disponibilizou o dinheiro para a compra dos quatro terrenos, pagando as prestações para que não houvesse atrasos e a comunidade trabalhou para repor o dinheiro da Cúria, a partir desse momento, todos os meses eram feitos bingos com a finalidade de juntar o dinheiro necessário para pagar o terreno.

Certo dia Sr. Luiz conversava com amigos que nem eram da comunidade, falando sobre a necessidade de construir algo no terreno para poder celebrar as missas e fazer as festas, Deus tocou seus corações e essas pessoas decidiram ajudar, doando o que podiam, o Sr. Eleon Machado, conhecido por Sadia, doou um caminhão de tijolos, o Sr. Isaías doou um caminhão de areia e seu cunhado um caminhão de pedras britas, ganharam um pouco de cimento e ferro e compraram o restante dos materiais que faltaram, com esse material foi possível levantar um muro de divisa, onde hoje fica o salão paroquial, ergueram então paredes de madeiras usadas e cobriram com telhas de amianto(Eternit), formando assim um salão provisório, onde por muito tempo foram celebradas as missas, os primeiros encontros de catequese e muitas festas para a construção da nossa Paróquia São Martinho de Lima, que com tempo, muito trabalho e a ajuda dos Freis Dominicanos e da comunidade, conseguiram mais ajudas para o início da construção da igreja que temos hoje.

Aproximadamente dois anos depois, vindo do norte do Paraná, chegou o diácono João Cubas, que passou a ajudar os padres dominicanos e posteriormente a celebrar os cultos até a chegada do primeiro Pároco da comunidade, Padre Lotário Welter.

A pedra fundamental da igreja foi enterrada onde hoje é o altar da igreja, foram feitos os bate estacas, e as vigas de baldrame foram concretadas no dia 04 de maio de 1985, dando inicio assim, a construção e concretização da Paróquia São Martinho de Lima.

Juntamente com o Sr. Luiz Miguel na época então presidente da comunidade e que hoje nos conta essa história, trabalharam com ele nesta diretoria, o Sr. Benedito, o Sr. Silvestre, o Sr. Ulisses e o Sr. Francisco que por muito tempo foram também os músicos da paróquia, além da secretária, dona Zenite os tesoureiros Leni e Antonio Freitas, este sempre trabalhou como tesoureiro do início ao fim desta jornada, pois sempre teve muita capacitação para isso, como ainda cuida da nossa Paróquia nos dias de hoje, além é claro de muitas pessoas da comunidade que sempre trabalharam muito para que essa obra de Deus se cumpra.

Rua Natal 1650, Cajuru | Curitiba - PR | Telefone: (41) 3226-2310  |  Email: saomartinhodelima@hotmail.com