Para rezar e perdoar precisamos de um exame de confiança permanente


Nós sabemos que Deus perdoa, mas só conseguiremos ser perdoados por Ele na medida em que perdoarmos os nossos irmãos


Um dos ensinamentos mais desafiadores que Jesus nos deixou foi o perdão. Muitas são as passagens nos Evangelhos que Jesus nos exorta a isso. Em uma específica, ele nos diz que devemos perdoar várias vezes no mesmo dia: “Se ele (o teu irmão) pecar contra ti sete vezes num só dia, e sete vezes vier a ti, dizendo: ‘Estou arrependido’, tu deves perdoá-lo” (Lc 17,4).


Imagine a situação: em um único dia, uma pessoa te ofende muitas vezes e vem, arrependida, pedir perdão, ainda assim devemos perdoá-la? Sim, filhos e filhas, lembrando que perdoar não é só sentimento, não é apenas uma questão emocional, mas é decisão, vontade. Perdoar é libertar-se, não é mágica, é vontade.


Tanto que na oração que Jesus nos ensinou, o Pai Nosso, a sexta e a sétima petições são relacionadas a esse tema: “Perdoai as nossas ofensas”, essa parte tudo bem, Jesus deveria ter parado por aí, Ele teria proclamado a misericórdia de Deus, mas o grande problema foi que continuou a oração “assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido”.


Volto a citar, em muitas parábolas Jesus ensina o sentido do perdão, como a do funcionário que foi perdoado pelo rei numa grande quantia e esse quando encontra um companheiro que lhe deve uma quantia ínfima, não o perdoa (cf. Mt 18,21-35).

Rezar e perdoar Jesus falou muito da necessidade de perdoar sempre e nos deu o exemplo. Rezar e perdoar, na verdade, requerem de nós um exame de confiança permanente. Quem eu ainda não perdoei? Quem ainda me falta perdoar? Quando rezamos o Pai Nosso, colocamos para Deus algo extremamente perigoso, porque estamos dizendo: “Pai, eu acredito na Vossa misericórdia, mas me perdoe na mesma proporção que eu perdoo”. Interessante que nós podemos ver nisso uma armadilha e um aprendizado. Nós sabemos que Deus perdoa, mas só conseguiremos ser perdoados por Ele na medida em que perdoarmos os nossos irmãos. Por isso, muitas vezes, confessamos mais de uma vez e não conseguimos sentir o perdão de Deus, porque provavelmente perdoamos pouco. Perdão e amor Quem muito ama, muito perdoa. Portanto, quanto mais perdoarmos, mais o perdão de Deus sentiremos. Quanto mais perdoamos, mais o amor de Deus sentiremos. Um coração que se entrega ao Espírito Santo, um coração de filho que realmente reza ao Pai, consegue ter três atitudes que ninguém consegue a não ser pela fé: compaixão, purificar a memória e transformar a ofensa em intercessão.

Então, a petição “assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido” quer dizer perdoar a ponto daquilo que era mágoa, ferida, transformar-se em compaixão. Com este espírito de filho do Pai misericordioso conseguimos a purificação da memória, daquela lembrança dolorida, os registros negativos e traumas são purificados. A partir do momento que perdoamos e temos nossa memória purificada, o que era motivo de sofrimento transforma-se em motivo de intercessão, em oração por aquela pessoa. Oração para pedir o perdão de Deus Então peçamos, filhos e filhas, que o perdão cure os ressentimentos para que sejamos livres para amar a Deus e ao próximo, superando as desavenças e vivendo em paz e harmonia. Façamos um exame de consciência, rastreando quais os pecados que Deus nos mostra e peçamos perdão, rezando ao Senhor:

“Senhor, permito que trabalhes em mim. Coloco-me como barro em Tuas mãos. Permito, Senhor, que mexas em mim. Aceito a presença do Teu Espírito Santo. Dá-me, Senhor, a clareza das minhas feridas. Dá-me, Senhor, a clareza das minhas amarguras. Creio que vieste trazer vida em plenitude, dá-me esta vida. Reconstrói-me Senhor, refaz-me no Teu amor. Aceito ser trabalhado. Aceito passar por essa transformação. Quero, Senhor, sobre mim, Teu perdão. Aceito esse bálsamo que cura. Quero este bálsamo que vai cicatrizar minhas feridas. Hoje, Senhor, me apropriarei da graça do perdão. Hoje, Senhor, com a Tua graça, eu quero perdoar. Perdoo aqueles que me feriram. Sim, Senhor, porque me amaste primeiro, eu posso perdoar! Hoje, Senhor, quero me libertar das mágoas. Hoje, Senhor, quero buscar a felicidade. Quero, preciso e, com a Tua graça, Senhor, conseguirei. Amém.” Por Pe. Reginaldo Manzotti



https://pt.aleteia.org/2021/11/09/para-rezar-e-perdoar-precisamos-de-um-exame-de-confianca-permanente/




Posts Em Destaque