Vai começar o grande encontro da Ordem dos Frades Menores


Sob a inspiração do Espírito Santo, que São Francisco de Assis elegeu como o Ministro Geral da Ordem Franciscana, começa neste sábado, 3 de julho, mais um grande encontro da Ordem dos Frades Menores.


Vatican News De 3 a 18 do mês de julho, o Capítulo Geral vai reunir os representantes de 119 países para avaliar o último governo e definir os rumos da Ordem no próximo sexênio, além de eleger o novo Ministro Geral – o 122º representante de São Francisco de Assis – e o seu Definitório. Pela primeira vez na história, este momento terá como sede uma casa capuchinha: o Colégio Internacional São Lourenço de Brindisi, dos Frades Menores Capuchinhos, em Roma. O primeiro Capítulo Geral celebrado em Roma foi em 1239 com a eleição de Frei Alberto de Pisa como Ministro Geral, após a deposição do Irmão Elias; o último Capítulo Geral realizado em Roma foi em 1933.

Este grande evento para a Ordem dos Frades Menores tem como tema: “Renovemos nossa visão, abracemos nosso futuro”; e com a inspiração bíblica Efésios 5, 14: “Desperta… e te iluminará Cristo”. Desta Província Franciscana da Imaculada Conceição estará participando o Ministro Provincial, Frei César Külkamp, que também é presidente da Conferência dos Ministros Provinciais do Brasil e do Cone Sul. Por esta Conferência, participam ainda do Brasil 6 provinciais e 3 custódios, e três provinciais do Cone Sul (Argentina, Paraguai e Chile).

Os Capítulos sempre tiveram importância na vida da Ordem, para não perderem de vista o espírito primitivo fundacional. Já de início, São Francisco exigia de seus frades encontros fraternos como condição fundamental de vida. Hoje, o Capítulo Geral é uma assembleia que reúne irmãos de todas as partes do mundo, não importando a nacionalidade, a língua, a cultura e o costume de cada irmão capitular, uma vez que a comunhão de todos representa a universalidade da Ordem. “A comunidade torna-se um organismo composto de motivações pessoais que se harmonizam num mesmo projeto: a santidade de vida. Para a inspiração franciscana, ainda mais, o irmão é um dom de Deus e o desafio é o de constituir uma fraternidade. Tem mais a ver com um espírito familiar em busca, não apenas de motivações pessoais, mas do que é o sonho de Deus. É apostar a vida numa dimensão de fé e entrega total ao plano divino”, explica Frei César.

Segundo o Ministro Provincial, São Francisco escolhe celebrar o Capítulo em Pentecostes, justamente para celebrar aquele que ele chama de verdadeiro Ministro Geral. “É o Espírito quem vai conduzir esta Fraternidade nas veredas da Vontade a ser buscada”, observa. Para Frei César, na base dos trabalhos de preparação está o anseio de olhar para o futuro dos frades como Ordem na Igreja. “O carisma franciscano é atual, pode dar respostas ainda mais vigorosas ao mundo de hoje, apesar de nossas fraquezas pessoais e institucionais. As divisões, conflitos e exclusões crescem no mundo apesar de todo o aparato tecnológico que facilita a proximidade. Uma verdadeira comunhão de vida alimentada pela presença viva de Jesus Cristo é a nossa busca, mesmo na variedade de manifestações das múltiplas realidades em que a Ordem está presente. Em todas elas a fraternidade, como lugar de partida e de chegada, é significativa. Pois fraternidade é o apelo da Igreja em diálogo com outras crenças para toda a humanidade. E fraternidade não é apenas uma realidade interna ou estática. A fraternidade nos leva à contemplação e à missão, nos pede abertura e generosidade missionária. Ela acolhe e integra”, explicou o Ministro Provincial.

“Mais uma vez somos chamados a voltar ao essencial. Este é o movimento sempre presente na história dos Capítulos Gerais”, ressalta o frade, recordando que a Província da Imaculada terá o Capítulo Provincial em novembro. “Peço as orações dos confrades e de todos e todas que participam de nossa vida e de nossa missão por esta celebração capitular. Que ela faça crescer em toda a Ordem a fecundidade de nossa consagração e de nossa resposta vocacional na missão evangelizadora!”, completou Frei César.

Este Capítulo vai eleger também o 122º representante de São Francisco de Assis. Atualmente, a Ordem dos Frades Menores tem como Ministro Geral o norte-americano Frei Michael Perry, que foi eleito em 22 de maio de 2013 depois que o Papa Francisco nomeou arcebispo o então Ministro Geral da Ordem, Frei José Rodríguez Carballo. No Capítulo Geral de 2015, Frei Michael foi reeleito para este sexênio que se encerra.

O Cardeal brasileiro João Braz de Aviz, Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica, foi nomeado pelo Papa Francisco para presidir a eleição do Ministro Geral, que será realizada no dia 13 de julho, a partir das 10h30 (horário de Roma). “Em nome de toda a Ordem, agora consideramos Sua Eminência nosso “protetor” e rezamos por ele e pelo Capítulo”, manifestou o site da Ordem.

O PROGRAMA DO PRIMEIRO DIA A chegada dos frades ao Colégio São Lourenço de Brindise está prevista para as 9 horas, tendo início o Capítulo às 10 horas com a Missa de Abertura. Na sequência, os frades terão um momento para conhecer o funcionamento dos trabalhos, como o sistema de tradução simultânea.

Às 15h30 começam os encontros por Conferências, quando será feita a seleção de candidatos para moderadores. Às 17 horas, no plenário, será apresentado o regulamento e sua aprovação. Depois serão eleitos os moderadores e designados os escrutinadores, além de apresentar as sínteses dos informes das conferências da Ordem aos capitulares. O dia termina com as Vésperas às 20 horas.

PEQUENA CRONOLOGIA Em 1212, Francisco determinou dois capítulos anuais: um em Pentecostes e outro em setembro, na festa de São Miguel (em torno de 300 frades);

Em 1216, Jacques de Vitry afirmava que os frades se reuniam uma vez por ano, em lugar marcado, para se alegrarem no Senhor, comerem juntos, para formular e promulgar leis;

Em 1217, a Ordem é dividida em Províncias, pelo aumento do número dos Frades e para facilitar o governo. Começam os Capítulos Gerais, formados com os Ministros Provinciais, e o Capítulos Provinciais, com a mesma dinâmica dos Capítulo Geral;

Em 1223, o Capítulo Geral passa a ser realizado de três em três anos, em Pentecostes;

Em 1239, ao encerrar o mandato de Frei Elias, foram promulgadas as primeiras Constituições Gerais da Ordem;

Para São Francisco, o Capítulo Provincial era esperado com ansiedade, pela importância que tinha na vida da Ordem.

Após o Concilio Vaticano 2º, as Constituições Gerais preveem a possibilidade de Capítulo Provincial Extraordinário em fidelidade às estruturas de governo da Ordem.

A ORDEM EM NÚMEROS Segundo a centenária revista “San Francesco” (1920-2020), o Conselho Plenário da Ordem dos Frades Menores divulgou, em 2 de novembro do ano passado, os números sobre a presença dos frades no mundo. Em documento apresentado, os dados atestam uma nova queda do número total de franciscanos no mundo, em comparação com os anos anteriores. Na avaliação da revista, “continuamos a lidar com um declínio alarmante de vocações”.

Queda e crescimento Os Frades Menores estão hoje presentes em 119 países em todos os continentes. Nas estatísticas mais recentes, desde o final de 2017, os números indicam uma queda maior na América do Norte (31% em 10 anos) seguida pela Europa Ocidental (25% em 10 anos). Enquanto o crescimento continua na África, Ásia e Oceania (18% em 10 anos). «No fundo, segundo o documento, vê-se que o movimento da Ordem segue o da Igreja».

Numericamente, os Frades Menores são cerca de 13.000 e estão assim distribuídos: 2.399 na Europa Oriental; 3.725 na Europa Ocidental; 1.119 na América do Norte; 3.228 na América Latina; 1.580 na Ásia e Oceania; 1.266 na África e no Oriente Médio. “Comparado há 10 anos atrás, a Ordem diminuiu 12,5%”.

Um dos principais sinais de mudança das fraternidades franciscanas nas Conferências do Hemisfério Norte, e também na América do Sul, embora em menor grau, é identificado no envelhecimento. A dificuldade mencionada é a de “cobrir todos os serviços assumidos, nomeadamente no que diz respeito à pastoral paroquial”.

Frei Alonso Morales, Secretário Geral para as Missões e Evangelização, lembrou na última Assembleia Geral da União das Conferências da América Latina (UCLAF) que as estatísticas da Ordem não são animadoras. “Frei Herman Schaluck, nos anos 60, dizia que a Ordem era um ‘gigante adormecido’. Creio que se está perdendo o gigante enquanto ele dorme. No Concílio Vaticano éramos 25 mil frades. De acordo com um estudo que vai ser apresentado no Capítulo Geral sobre as projeções da Ordem para o ano 2030, seremos 7 mil irmãos na Ordem. Estamos declinando”, informou.

A FAMÍLIA FRANCISCANA NO MUNDO As famílias franciscanas são numerosas no mundo, reunidas principalmente em três Ordens: na primeira Ordem, os Frades; na segunda Ordem, as Irmãs Clarissas; e na terceira Ordem, os franciscanos seculares.

Essa diferença leva a outras distinções, porque os frades se dividem, por sua vez, em quatro grandes Ordens principais: os Frades Menores Conventuais (mais de 4 mil); os Frades Menores (cerca de 13.000), os Frades Menores Capuchinhos (cerca de 10 mil). Um total de 800 membros são da Terceira Ordem Regular (TOR). As religiosas das Irmãs Pobres são 6.600, enquanto os membros da Ordem Franciscana Secular (OFS) são 300.000 no mundo em 116 países: leigos, jovens, mulheres e idosos. A Juventude Franciscana (JUFRA) tem cerca de 40 mil em 68 países.

No mundo franciscano, a prioridade é o serviço, um compromisso horizontal de fraternidade, oração, comunhão com os pobres. Para ser franciscano não é preciso ser sacerdote; o sacerdócio é um serviço específico à comunidade. O próprio Francisco não era padre.

AMÉRICA LATINA A União das Conferências Franciscanas da América Latina (UCLAF) representa a Ordem neste Continente: Conferência do Brasil e Cone Sul (Argentina, Paraguai e Chile) tem os seguintes provinciais ou custódios: Frei Ernilio Andrada (Província da Assunção da Santíssima Virgem do Rio da Prata – Argentina e Paraguai): Frei Daniel Alejandro Fleitas Zeni (Província de São Francisco Sola no, Argentina); Frei Isauro Covili (Província Santíssima Trindade, Chile); Frei Edílson Rocha (Custódia São Benedito da Amazônia); Frei Marco Aurélio da Cruz (Província do Santíssimo Nome de Jesus do Brasil); Frei Marino Pedro Rhoden (Província São Francisco de Assis); Frei Rogério Viterbo de Sousa (Custódia das Sete Alegrias de Nossa Senhora); Frei Antônio Pacheco Ramos (Província Nossa Senhora da Assunção); Frei Hilton Farias de Souza (Província da Santa Cruz); Frei César Külkamp (Província da Imaculada Conceição do Brasil e presidente da Conferência); Frei João Amilton dos Santos (Província de Santo Antônio do Brasil); Frei Fernando Aparecidos dos Santos (Custódia do Sagrado Coração de Jesus), secretário da Conferência.

Da Conferência Bolivariana (Equador, Venezuela, Colômbia, Peru e Bolívia): Frei Héctor Eduardo Lugo Garcia (Província de Santa Fé, da Colômbia); Frei José Arias (Custódia da Imaculada Conceição da Venezuela); Frei Jesús Barahona, (Província de São Francisco de Quito); Frei René Bustamante (Província de Santo Antônio da Bolívia); Fr. Nicolas Ojedas Nieves (Província Franciscana dos XII Apóstolos do Peru): Frei Alejandro Wiesse León (Província São Francisco Sola no do Peru).

Da Conferência Guadalupana (México, América Central e Caribe): Frei Joel Cosme (Província do Santo Evangelho do México}; Frei Angel Gabino Gutierrez (Província dos Santos Francisco e Santiago no México); Frei José luis Chaves Vargas (Província São Felipe de Jesus); Frei José Angel Lozano Hernandez (Província Frei Junípero Serra); Frei Santos Perez {Custódia de Santa Maria da Esperança do Caribe); Frei Flavio Chávez García (Província de São Pedro e São Paulo de Michoacán, México), presidente da Conferência.

Fonte: Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasi - Moacir Beggo



https://www.vaticannews.va/pt/igreja/news/2021-06/vai-comecar-o-grande-encontro-da-ordem-dos-frades-menores.html


Posts Em Destaque